Rastreador veicular com bloqueador: como funciona?

Uma dúvida muito frequente em relação ao rastreamento veicular se dá a respeito do bloqueador: afinal, como ele funciona? Vale a pena utilizar um bloqueador unido ao serviço de rastreamento?

Para essas perguntas a resposta é sim, porém é necessário saber bem o uso que desejamos fazer do rastreamento veicular. É importante conhecermos um pouco da dinâmica de um bloqueador associado a um rastreador veicular.

Bloqueador: como funciona

Vamos à parte técnica. Em primeiro lugar o bloqueio é feito a partir de um comando do rastreador, que recebe um comando de bloqueio da Central ou de outro dispositivo (dependendo da configuração), que então faz o corte de combustível. Ou seja, de forma geral o bloqueio é feito por pane seca, que é a ausência de combustível no motor.

Todo rastreador acoplado a um veículo dispõe de um relé que corta ou libera o fluxo de energia e dá uma série de comandos. No caso de um bloqueador veicular, esse relé é ligado na bomba de combustível que interrompe a liberação do fluxo de combustível.

Há também outras formas de fazer esse bloqueio, porém essa é a forma mais segura: dessa maneira, o carro não irá parar de forma repentina, mas irá dar sinais ou avisos sonoros antes de desligar. Isso serve para que o carro possa ir desligando aos poucos e evitar uma parada brusca no meio da rua.

Por que utilizar o bloqueador de combustível?

Agora vem a questão chave do uso de um bloqueador.

Muitas pessoas pensam que o uso de um bloqueador com rastreador se dá em função de evitar que o carro possa ser desligado à distância após um furto. Sim, essa é uma das formas de utilização, que pode ser acionada pela Central do serviço de rastreamento, por exemplo.

Porém, essa não é a principal delas.

O principal uso que se faz do bloqueador no serviço de rastreamento é o de gestão de frota de veículos de uma empresa. Trata-se de uma forma de controle do uso dos veículos.

Todo serviço de rastreamento aplicado à gestão de frota, permite a criação de regras para o uso do rastreamento. Assim, é útil ao diretor ou dono da empresa utilizar algumas regras que permitem fazer o manejo dos carros da frota e assim gestioná-los de forma adequada.

Principais usos do bloqueador veicular aliado à gestão de frota

 

1 – Horário de uso dos veículos

O diretor da empresa pode configurar os horários em que os veículos podem ser colocados em operação. Por exemplo, no horário comercial da empresa. Se houver a tentativa de circulação desse veículo para além desses horários, o bloqueador veicular impede automaticamente que seja dada a partida no veículo.

2 – Zonas ou ruas autorizadas

Esse tipo de configuração é bastante comum em caso de transporte ou de rotas predeterminadas. Se o veículo sair da rota, para um uso não previsto do veículo a empresa detentora da frota é avisada e de forma automática, ou por solicitação à Central. Então,  bloqueador interrompe o uso do veículo de forma imediata.

3 – Motoristas autorizados

Esse tipo de regra também é bastante útil para o uso de veículos de uma frota. Trata-se de uma autorização para o tráfego de motoristas específicos, que têm a autorização para o uso de veículos nos seus turnos de trabalho. Esse tipo de bloqueio impede o uso do carro por parentes ou por motoristas não autorizados.

4 – Quilometragem rodada

Essa configuração é bastante utilizada para a conformidade com a chamada lei do motorista (Lei nº 13.103/2015). Esta lei dispõe a estabelece normas para regulamentar a rotina de trabalho de motoristas que fazem o transporte de passageiros e cargas, incluindo também o tempo de direção. Caso o motorista exceda esse período, o bloqueador impede que o veículo continue trafegando.

Obviamente que seja qual for o uso, ele deve se adequar ao uso e dinâmica da empresa, de forma a servir de uma ferramenta útil para a gestão da frota, o que significa redução de custos e aumento de eficiência na utilização dos veículos.

Também é muito importante que ele possa ser desbloqueado facilmente, seja pelo gestor da frota, seja pelo contato com a Central 24h, que precisa estar à disposição para um acionamento rápido em caso de necessidades de desbloqueio ou de bloqueio. Há muitas empresas de rastreamento, por exemplo, que não têm uma central própria, o que torna esse processo bastante arriscado, já que por princípio, é um trabalho que necessita agilidade e pronta resposta.

Seguindo esses princípios, o bloqueador veicular se torna um aliado importante para a gestão da frota, redução dos custos e uso adequado do carro da empresa.

Sucesso!

 

Deseja saber quanto custa para rastrear sua frota? Clique aqui e solicite um orçamento.

2018-10-16T19:02:29+00:00out, 2018|Como Funciona|Comentários desativados em Rastreador veicular com bloqueador: como funciona?